Você sabe a diferença entre DOC e TED e PIX?

Por Equipe do AJ

Você provavelmente já fez transferências bancárias, mas você sabe porque existem três tipos?

Por Carol Stange e Naiara Bertão

TED, DOC, PIX… Na hora de transferir dinheiro para alguém surge essa dúvida: qual das opções devo escolher? Este artigo se propõe justamente a desmistificar o que é cada um desses métodos de transferência de recursos disponíveis para as pessoas. Confira. 

Essas siglas correspondem à transferências bancárias. Vira e mexe, a gente tem que tirar um dinheiro da nossa conta para transferir para a conta de outra pessoa, em um banco ou instituição financeira diferente. Parece bem simples até virem as dúvidas: “faço um DOC ou um TED?”, “qual é melhor?”, “qual deles é mais barato?” e “afinal, qual é a diferença entre eles?”.  

TED é a Transferência Eletrônica Disponível, onde o dinheiro que você envia cai na conta de quem vai receber no mesmo dia que você fez a operação, desde que seja feito até às 17h. Depois desse horário, o dinheiro vai pra a outra conta só no dia útil seguinte. A parte boa é que com a TED, não tem limite de transferência. A parte ruim é que não dá pra se arrepender. Se você mandou seus milhões para a conta errada e quiser de volta, pelo banco não dá para voltar atrás e cancelar.

E o DOC ? O Documento de Ordem de Crédito é nosso velho conhecido. Eu brinco que ele é o irmão mais velho da TED. Pense que justamente por causa disso, ele é mais lento. Você faz a transferência em um dia, o dinheiro só cai na conta de quem vai receber, no dia útil seguinte. E isso se você não deixar pra fazer a operação depois das 21h59, hein? A partir desse horário, o dinheiro só é transferido 2 dias depois! 

Além disso, o DOC tem um valor máximo de transferência, que é até R$ 4.999,99. 

E a parte boa? Ele é justamente perfeito para os arrependidos! Se você mandou dinheiro para a conta errada ou mesmo, se arrependeu e agora quer de volta, é só ir até o banco e pedir pra cancelar. Logicamente precisa se atentar aos prazos.

E o tal do PIX, como funciona? O PIX é uma nova forma de transferir dinheiro entre pessoas físicas, lançado em 2020 pelo Banco Central e que conta com a adesão de praticamente todos os bancos e instituições financeiras, além de fintechs. A ideia era criar uma forma de pagar contas e passar dinheiro rapidamente (leva apenas segundos para o dinheiro pingar na conta do outro), fácil e sem custo – pelo menos por um tempo. É isso mesmo, quem usa o PIX para transferir reais não paga nada! E dá para fazer isso  via QR Code, link ou inserção manual dos dados da outra pessoa (CPF, telefone, etc. – o que ela cadastrou no PIX).

Resumindo… 

Precisa transferir o dinheiro o mais rápido que der? Vai de TED!

Não é urgente e você tá na dúvida se quer transferir ou não? Faz um DOC!

Mas e os preços do TED e do DOC? 

Os bancos costumam cobrar a mesma taxa pra fazer DOC ou TED.  Mas, em compensação, cada banco cobra o quanto quer. A dica de ouro, aquela que eu falei no início do podcast, é que ninguém te conta que fazer essas transferências pela internet ou pelos caixas eletrônicos sai bem mais barato – as taxas são mais baixas do que se você fizer isso na agência do banco.

Ah, um detalhe importante: muitos bancos não deixam que seja feito DOC para uma conta poupança. Mas com a TED, não tem problema. No caso do PIX, o Banco Central definiu que os bancos e demais participantes do PIX têm a liberdade de definir ou não os limites de valor para as transferências.

Ficou mais fácil saber qual modelo escolher na hora de fazer uma transferência? Ficou, né? 

Compartilhe esse conteúdo com seus amigos, assim você também pode ajudar outras pessoas a cuidar melhor do próprio dinheiro!