LCA e CRA — Conheça os títulos do agro que você pode investir

Por Acao Jovem

LCA e CRA — Conheça os títulos do agro que você pode investir

Muitas pessoas não conhecem as formas de investimento disponíveis hoje no setor de agronegócio, mesmo sendo um dos mais aquecidos do momento.

É crescente o movimento de atração de capital, além disso, as indústrias estão se moldando às novas oportunidades, assim como os produtores rurais e os distribuidores. E todos eles estão em busca de recurso para dar seguimento às atividades agrícolas anuais.

E como podemos nos aproximar e apostar no crescimento do agro como pessoas físicas, que não tem fazenda e nem pretende criar animais? Aqui mostro para vocês os instrumentos de captação mais conhecidos atualmente e acessíveis para diferentes tamanhos de bolsos:

LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

A LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) é um instrumento de captação de crédito. Através de um título de renda fixa, os bancos captam junto a investidores um montante de capital e depois direcionam de forma exclusiva aos financiamentos do agronegócio. É possível investir em títulos LCA a partir de R$ 1 mil e estão disponíveis para investimento em bancos, plataformas de investimentos e corretoras.

Uma vantagem para quem compra é que a letra é isenta de imposto de renda (IR), um grande ponto positivo deste título. Para quem fica na ponta com a captação — as indústrias, fazendas, cooperativas etc. — esta isenção também é importante porque faz com que os créditos disponíveis aos atuantes do agronegócio também fiquem mais baratos, em comparação a outras modalidades.

Essa letra pode também ser ofertada na forma de título prefixado, pós-fixado ou misto (com uma taxa fixa atrelada a um indicador, como IPCA). Ela costuma ter uma rentabilidade maior que a poupança e é indicada para investidores com o perfil “conservador”.

Outra vantagem é que a LCA é garantida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) em até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira — ou seja, se algo acontecer com a instituição financeira emissora, o FGC cobre o prejuízo e o investidor não tem perdas.

FONTE: Turnwise.com.br

CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio)

O CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) também é um título de renda fixa de crédito privado, que representa uma promessa de pagamento futuro em dinheiro. Com isso, é recomendado para investimento de longo prazo.

É muito similar em relação ao LCA. Ele também é isento de IR e sua captação de recursos é direcionada exclusivamente aos financiamentos do agronegócio, para produtores, cooperativas, revendas , etc.

Uma das diferenças mais marcantes entre o CRA e a LCA é que este título não é garantido pelo FGC, então apresenta riscos mais altos e também maior chance de rentabilidade. Isso se deve porque o CRA não é emitido pelos bancos, mas sim por securitizadoras contratadas por aqueles que querem captar recursos por meio dessas operações estruturadas, de acordo com a necessidade de cada empresa.

Vale dizer que o CRA pode ter uma estrutura pulverizada (onde o risco é atrelado a uma carteira diversificada de agricultores, por exemplo) ou corporativa (onde o risco está atrelado à uma empresa devedora).

FONTE: XP investimentos

Esses são os dois principais exemplos de papéis de investimentos que contribuem para o crescimento do agronegócio no Brasil, beneficiando desde produtores até as indústrias de insumos — e também o investidor.

Por meio desses títulos é possível também estruturar operações voltadas ao interesse do beneficiado, como por exemplo no caso do CRA, onde é possível realizar emissões “verdes”, ou em montantes que atendam as necessidades de custeio dos produtores, cooperativas, entre outros, por um determinado período de tempo.

Se você se interessou sobre o assunto, ou deseja adquiri-los, procure saber mais sobre estes títulos em sua corretora, plataforma ou banco!

Sobre a autora

Mayara Carneiro é engenheira Agrônoma pela ESALQ/USP, em sua formação, buscou aprofundar-se nos temas de sustentabilidade, economia e finanças do agronegócio.

Possui experiência em operações agrícolas comerciais e atualmente trabalha no mercado financeiro e de capitais.