Fundo de investimento: o que é e como funciona

Por Equipe do AJ

Se você pretende começar a investir no mercado financeiro, certamente vai ouvir falar dos Fundos de Investimentos, modalidade que permite aplicações em renda fixa, variável e até mesmo em criptomoedas. Ele pode ser um importante aliado na diversificação de sua carteira.

Por isso, criamos uma série especial para explicar em detalhe este tipo de investimento.

Business vector created by pch.vector

O QUE É UM FUNDO DE INVESTIMENTO? 

Os fundos de investimentos são aplicações compostas por uma comunhão de recursos de várias pessoas com um objetivo comum em investir, contando com uma equipe profissional que gerencia o patrimônio para todos. Todo esse dinheiro aplicado por um investidor é convertido em cotas, que são as frações de um fundo, cujo valor é resultante da divisão do patrimônio líquido pelo número de cotas existentes. Quando o investidor aplica o dinheiro no fundo, ele se torna um cotista, pois compra uma determinada quantidade de cotas das quais o valor é calculado diariamente.

Essa modalidade de investimento tem como propósito diminuir os custos de investimentos, visto que são diluídos entre todos os participantes, permitindo assim aos investidores aplicarem pequenos valores que os fazem usufruir do poder da diversificação. Esta é a principal característica dos fundos, pois tendo em vista o rateio dos custos entre os participantes, os fundos de investimentos possuem uma capacidade de investimentos que fazem deles os grandes “donos” do mercado, visto que sozinho não há investidor que consiga competir contra milhares de investidores juntos dos principais fundos.

COMO FUNCIONAM?

No Brasil, há uma regulamentação específica para fundos de investimento. A ANBIMA é responsável pela autorregulação e a CVM e a SUSEP são órgãos institucionalizados que exigem um maior controle dos agentes envolvidos. Esta normatização é bastante detalhada e rigorosa, conferindo uma segurança expressiva na gestão dos fundos, oferecendo assim certa tranquilidade ao investidor em relação à proteção contra irregularidades.

É relevante então entendermos melhor sobre esses intermediários envolvidos:

  • Administrador

É quem responde legalmente pelo fundo, faz todo o controle e verifica se o fundo está atendendo a legislação e as regras do fundo. Além disso, também disponibiliza um relatório para que o investidor possa se inteirar sobre o desempenho diário do fundo. Para este trabalho, é remunerado com um percentual sobre o patrimônio líquido do fundo – todos os valores depositados pelos investidores menos os impostos.

  • Gestor

Uma das pessoas mais importantes pois é ele quem toma decisões sobre o que comprar e vender pro fundo, de acordo com o que está determinado na política de investimento do fundo.

É remunerado por um grande parte da taxa de administração do fundo, que varia muito de acordo com os diferentes tipos de fundos existentes. É de acordo com o seu trabalho de comprar e vender ativos que o fundo irá conseguir obter bons rendimentos. Então, um fundo de investimento com uma alta taxa de administração não quer dizer que é ruim e um com baixa que é bom, pois tudo depende do desempenho que o fundo proporciona. Importante ressaltar que quando o investidor verifica o rendimento do fundo, este já foi descontado desta taxa.

  • Custodiante

É o responsável pelos trâmites legais e pela guarda dos ativos. É como se fosse o “dono do cofre” que o fundo está guardado.

  • Distribuidor

É quem disponibiliza o fundo de investimento para o investidor. São, principalmente, as instituições financeiras e corretoras que oferecem produtos do mercado financeiro fazendo a intermediação do fluxo de entradas e saídas dos cotistas.

Acompanhe o nosso blog e redes sociais para os próximos episódios da nossa série sobre Fundos de Investimentos.