Como parar de levar susto com a fatura do cartão de crédito

Por Equipe do AJ

Conheça 5 dicas práticas para controlar essa ferramenta de uma vez por todas

Por Carol Stange

Ele leva a fama de mau, mas a verdade é que pode ser muito fácil  perder o controle de gastos com esse “dinheiro de plástico”. Comprar  usando o cartão de crédito é fácil, rápido e indolor, e somando esses  pontos ao bombardeio de ofertas e apelos de vendas aos quais  sofremos todos os dias, não é preciso ir muito longe para imaginar o  tamanho do estrago que ele pode deixar no nosso orçamento  mensal. O problema é tão sério que o cartão de crédito é citado como  uma das maiores causas do endividamento do país, segundo as  maiores casas de pesquisa sobre o brasileiro e suas finanças.  

Mas nem tudo são tristezas. Também precisamos lembrar que o  cartão de crédito pode nos proporcionar vantagens interessantes:  pagar de forma parcelada e sem juros itens de maior valor, e  participar de programas de milhagens e clubes de vantagens são  algumas delas.  

Então para te ajudar a controlar essa ferramenta de uma vez por  todas e liberar seu acesso aos benefícios que essa forma de  pagamento proporciona, separei alguns cuidados práticos que você já  pode inserir, sem dor, na sua rotina financeira: 

1. Mais de um cartão em uso? Melhor rever.  

Há quem tenha vários cartões na carteira com o objetivo de tirar  proveito de limites de crédito e datas de vencimento diferentes, mas  essa decisão costumeiramente se transforma em uma armadilha  financeira.  

O motivo é muito simples: ao possuir vários cartões de crédito, o  titular também acumula várias faturas com datas de vencimento  diferentes e, administrar os gastos, que deveria ser algo simples  

(afinal todas as transações vêm descritas e datadas), se transforma  em um trabalho digno de um departamento financeiro de uma  pequena empresa. 

Vale a pena separar uns minutos para fazer uma “limpa” nos cartões  que não são usados e eliminar inclusive aqueles que só servem de  incentivo para gastar a mais. 

2. Levando susto ao ver o valor total? Vá de lupa nas compras  recorrentes. 

Acontece. Achamos que estamos com as despesas sob controle e  quando a fatura chega, quase caímos para trás. A sensação que resta  após o susto é: “mas nem comprei nada tão caro!”. Nesses casos, os  vilões geralmente são as compras recorrentes. 

Sabe aqueles gastos rotineiros e frequentes na farmácia, padaria,  hortifruti e posto de gasolina? Pois é. Esse são os gastos recorrentes e  a indicação é que eles só devem ser feitos usando o cartão de crédito  quando já se tem controle pleno da ferramenta.  

3. De parcelinha em parcelinha… 

… a fatura estoura! A dica prática para ajudar a evitar esse problema  é estabelecer metas semanais de gastos com parcelas no cartão, pois  isso ajuda a manter o uso do limite sob controle. Outra boa sugestão  é definir um dia da semana para verificar o extrato e acompanhar o  uso do limite.  

4. Verdades sejam ditas: picotar ou congelar o cartão não é  liberdade financeira 

Se estiver muito difícil controlar os gastos, vale deixar o cartão  esquecido na gaveta por um tempo até as finanças se reequilibrarem.  Picotar o cartão de crédito ou jogá-lo fora, ao contrário do que muita  gente diz por aí, não é liberdade financeira. 

Liberdade é você saber usar uma ferramenta em uma sociedade com  cada vez menos cédulas e moedas circulando de mão em mão. Não  ter mais dinheiro vivo é um caminho sem volta. Aprender a usar o  cartão de crédito a nosso favor é essencial.  

5. Esse é o tipo de coisa que não se empresta 

Você sabia que emprestar o cartão de crédito é um dos motivos que  levam milhares de brasileiros ao endividamento todos os dias? 

Antes de emprestar seu cartão para outra pessoa, faça a seguinte  análise: o bem adquirido ficará com essa pessoa, mas a obrigação de  pagar será sua. Além disso, é o seu nome que está em jogo no caso  de incapacidade de pagamento do amigo (que aliás, se tivesse crédito  no mercado não precisaria estar recorrendo a você). Se dizer não é  difícil, perder o amigo é ainda pior. Vale a pena o risco?  

Agora que você teve acesso às informações e dicas práticas sobre o  cartão de crédito, ficou mais fácil de controlar essa ferramenta, não  é? Você pode colocar essas orientações em prática hoje mesmo!  Lembre que o cartão de crédito pode ser um grande companheiro no  seu dia a dia, mas quem dita as regras desse relacionamento é você.  

Um beijo e nos vemos no próximo conteúdo sobre Finanças Pessoais!  Até mais!